Quinta-feira, 25 de Novembro de 2010

As focas

A FOCA

 

 

Pertence à ordem dos Carnívoros, à família dos Pinípedes e alimenta-se com peixes e invertrebados marinhos. Habita preferencialmente nas costas arenosas e de águas pouco profundas, sendo originária da Ásia Central. As focas estão muitíssimo bem adaptadas à vida marinha, com as suas pequenas caudas e nadadeiras anteriores e também ouvidos externos. Chega a medir dois metros de comprimento e a pesar mais de cem quilos. Têm os filhos em terra, apenas um de cada vez. O tempo médio de vida varia entre os 25 e os 35 anos, chegando mesmo a atingir 40 anos.
A foca branca é muito caçada devido ao valor da pele, empregue no fabrico de casacos e outros adornos.

A foca é um mamífero pinípede, que sofreu modificações consideráveis para se adaptar à vida aquática. Os ossos dos membros tornaram-se muito reduzidos, de modo que apenas as patas sobressaem do corpo. Uma membrana liga os dedos, como numa barbatana. As narinas no alto da cabeça, permitindo que o animal respire estando a maior parte do corpo imerso, mantêm-se quase sempre fechadas, mas são providas de músculos especiais que as abrem quando o animal quer respirar. A superfície frontal dos olhos é plana , a forma mais adequada para debaixo de água produzir imagens bem focadas. Para conservarem o calor do corpo passaram a apresentar, sobre a pele, uma espessa camada de gordura. Apresentam ainda outras modificações que lhes permitem mergulhar e suster a respiração por longos períodos. O volume de sangue do seu corpo é, proporcionalmente ao tamanho, muito superior ao de qualquer mamífero terrestre e, por esse motivo, conseguem armazenar grandes quantidades de oxigénio. Além disso, quando mergulham, contraem alguns vasos sanguíneos mais importantes para que a circulação do sangue arterial fique consideravelmente limitada ao coração e ao cérebro. Simultaneamente, as pulsações descem de 100 por minuto para aproximadamente 10. Assim, o animal consegue manter oxigenados os orgãos principais. em prejuízo do resto do corpo.
Para dar à luz têm que se dirigir às praias, aonde não só estão expostas aos ataques dos animais terrestres, como não encontram ali o alimento apropriado. Por isso é de toda a conveniência para a foca fêmea que as crias se desenvolvam em pouco tempo e se tornem independentes o mais rapidamente possível. O leite da foca é extraordinariamente rico - contendo 50% de gordura - e a cria aumenta de peso à razão de cerca de um quilo por dia. Como durante o período de amamentação a mãe não se alimenta, o que se verifica na realidade é que ela converte a própria gordura em leite, transferindo-a para a cria. Alguns dias após o nascimento, a fêmea acasala de novo. Porém, como o período de gestação é bastante inferior a um ano, o óvulo fecundado, ou ovo, mantém-se em princípio sem se desenvolver, sendo a implantação na parede do útero retardada por vários meses. Quando finalmente se dá a implantação, o ovo inicia o desenvolvimento e assim a cria nascerá na época de reprodução seguinte, um ano depois.
O grupo das focas, que abrange mais de duas dúzias de espécies todas desprovidas de orelhas, terá evoluído de antepassados semelhantes a lontras. Os membros das focas quase lhe não são de qualquer utilidade em terra. Os anteriores são tão curtos que o apoio que proporcionam é muito reduzido, e os posteriores, como não podem ser virados para a frente, de nada lhes servem. Com efeito, fora de água, as suas patas posteriores mantêm-se geralmente com as plantas unidas, tomando o aspecto de uma cauda.
A foca serve-se das barbatanas anteriores quase exclusivamente para manobrar e das posteriores para a propulsão, usando uma técnica na deslocação muito semelhante à dos peixes. A maioria das focas, quando em terra, desloca-se por ondulações no corpo. Porém, a foca caranguejeira vive sobre gelo flutuante tão escorregadio que tem de mover-se sinuosamente, à maneira das serpentes.
As focas são mais abundantes nas águas polares, aonde há enormes concentrações de peixe. Existem no entanto espécies que vivem em águas mais temperadas. As focas do gérero Monachus encontram-se na Madeira e costa da Mauritânia, e possivelmente ainda no Mediterrâneo e na zona das ilhas Havaí. Algumas espécies são de pequenas dimensões - a foca do lago Baical, a única que vive exclusivamente em água doce, mede apenas um metro e meio, mas todos os grupos incluem uma espécie de grandes dimensões. O elefante marinho, a maior espécie do grupo das focas, atinge seis metros de comprimento e cerca de três toneladas de peso.

 

 

 

A FOCA CINZENTA

 

A foca cinzenta,espalhada por todo o litoral do norte da Europa e da América, é menos caçada do que as outras espécies, por duas razões: ela é menos sociável que outras espécies e nunca forma colónias grandes nas praias. Além disso, os filhotes já nascem com o pelo de adultos, de um cinza vivo e com manchas escuras, ao contrário do belo pelo branco, que é o orgulho (e o infortúnio) das outras. A primeira muda de pêlo da foca cinzenta ocorre no próprio ventre materno. A foca cinzenta passa a maior parte do tempo nas águas árticas, e vem a terra apenas para dar à luz  e para se aquecer ao sol. Dorme na superfície da água, acasala-se nela e só tem que mergulhar para conseguir comida, que consiste em peixes e caranguejos. O seu corpo em forma de torpedo é perfeitamente adaptado para nadar, desde as pernas que se transformaram em nadadeiras, até à cabeça redonda, desprovida de orelhas. As narinas fecham-se quando ela mergulha. Como as outras, a foca cinzenta é protegida do frio por uma camada de gordura, e por um aparelho circulatório especial.

 

 

Bem vejo que se eu não comento nos vossos blogues vocês tambem não comentam nos meus. Desculpem-me mas é que eu não tenho tido assim muito tempo de ir aos vossos cantinhos. Assim que puder passarei por todos os vossos espaços,prometo.

 

publicado por gatinhafofa às 14:42
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Segunda-feira, 8 de Novembro de 2010

Premios para a Black PrinCesSs

Aqui tens o teu primeiro prémio!!

 

 

E aqui está o segundo:

 

 

E aqui vai um terceiro prémio!!

 

 

Espero que gostes de tudo isto que eu te fiz!! Muitos beijinhos!!

publicado por gatinhafofa às 20:45
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Quinta-feira, 4 de Novembro de 2010

Cuidados a ter com os esquilos (1)

Nos dias que correm os esquilos começam a ser cada vez mais conhecidos como uns dos novos animais de companhia exóticos. No entanto, são roedores com necessidades e comportamentos muito próprios diferindo bastante em relação á grande maioria dos roedores.

 

Alimentação

 

A alimentação é um dos factores de maior importância para manter os esquilos de boa saúde e com forças para toda aquela actividade enérgica bem característica destes pequenos roedores. Na natureza, os esquilos têm uma alimentação muito variada consumindo sementes, flores, cogumelos, etc. Em cativeiro, uma boa alimentação passa por uma ração a mais variada possível, acompanhada por pequenos complementos.

Nunca se deve de dar comida de papagaio aos esquilos, pois para além de ser muito calórica devido à quantidade de sementes de girassol, também é muito incompleta face ás suas necessidades.

Actualmente pode-se encontrar com facilidade rações próprias para esquilos. Estas rações são constituídas por uma mistura de sementes e frutos secos (amendoins, avelãs, alfarroba, sementes de girassol, fruta seca, etc.), sendo esta a alimentação base que deve estar sempre à disposição do animal. Como complemento da alimentação principal, deve-se colocar fruta (maçã, pêra, uvas, laranja, etc.) com alguma frequência e uma pequena guloseima. Essa guloseima pode ser amendoim, avelã, amêndoa, pinhão, castanha e noz, tudo com casca, pois ajuda ao desgaste dos dentes, factor esse que é vital nos roedores. As guloseimas, são também um dos factores essenciais na domesticação de um esquilo, ajudando a criar um laço de afecto entre dono e animal. Dando todos os dias, mais ou menos á mesma hora uma pequena guloseima, leva o esquilo a fazer a analogia: DONO = GOLOSEIMA, e assim percebe que a presença do dono não constitui uma ameaça, mas sim comida.

É lógico que nem em todos os casos este truque resulta, no entanto, o facto dos esquilos serem muito gulosos pode ajudar bastante à obtenção de resultados satisfatórios.


Outro factor que tem tanta importância como a alimentação é a água. Os esquilos deverão de ter sempre à disposição uma "garrafa" própria para roedores com água, devendo mudá-la de dois em dois dias especialmente no Verão, quando a água tem tendência para ficar mais choca. Não se deve de deixar a água acabar pois isso poderá indicar que o esquilo necessitou de beber e não teve.


Tudo isto é o mínimo necessário para a manutenção de um esquilo em cativeiro, de qualquer forma compete ao dono "investigar" o que o seu esquilo mais gosta de comer, devendo ter sempre em conta a alimentação da espécie quando está na natureza.

...............(Continuação num outro post)

 

Pessoal eu espero bem que leiam os posts deste meu blogue,pois como não comentam eu acho que vocês não acham piada a este blogue e assim eu fico triste mas atenção pessoal caso vocês façam alguns comentarios neste blogue vão ganhar alguns premios-plaquinhas, portanto, pessoal, toca a comentar. mil beijinhos a todo o pessoal que vai ler isto.

publicado por gatinhafofa às 12:40
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Outubro de 2010

Cães de guarda (2)

(Continuação)

 

Métodos de guarda


Existem várias raças de cães de guarda, cada uma seleccionada com um diferente propósito e, dependendo das raças, os cães agem de forma diferente quando confrontado com intrusos.

Aparência física


Pode não ser considerado um factor essencial num cão de guarda, mas é efectivamente o primeiro passo na dissuasão de intrusos. Muitos cães de guarda têm contudo uma aparência amigável, com muito pêlo e expressão terna, e fazem valer a sua protecção utilizando outros métodos. Aliado à aparência física surge a percepção social da raça, ou seja, se o cão for reconhecido pelo intruso como um eficaz cão de guarda, mais dissuasiva é a sua aparência. Outro dado curioso é o facto de num estudo conduzido nos Estados Unidos da América, a cor do cão influenciar o grau de intimidação que exerce. Cães pretos ou de cor escura foram considerados mais dissuasores por ladrões.

Ladrar

Apesar do ditado “Cão que ladra não morde”, o primeiro instinto de alguns cães de guarda é efectivamente ladrar. Isto serve para dar o sinal ao resto da matilha, leia-se família, e para avisar o intruso de que está em território onde não é bem-vindo.

Neutralizar

Este método é seguido por algumas raças, como por exemplo o Mastiff, em que o cão salta sobre o intruso, permanecendo sobre ele até que o dono surja, caso o intruso não ofereça resistência. Este passo intermédio é visto com bons olhos por alguns donos que preferem um cão que tome outras medidas antes de morder.

Atacar

Os cães de guarda são assim apelidados porque protegem o seu território até às últimas consequências, ou seja, se for preciso avançam sobre os intrusos até os afugentarem.

 

Top dos Melhores Cães de Guarda


Stanley Coren, psicólogo e perito em comportamento canino, elaborou três listas de raças caninas sobre a sua capacidade de guarda e alerta no livro A Inteligência dos Cães.

Top de Cães de Guarda

Lista dos cães mais eficazes como guardas, devido ao seu sentido territorial, agressividade, aparência, força, coragem e resistência no contra-ataque:

  • Bullmastiff
  • Doberman
  • Rottweiler
  • Komondor
  • Puli
  • Schnauzer Gigante
  • Pastor Alemão
  • Rhodesian Ridgeback
  • Kuvasz
  • American Staffordshire Terrier
  • Chow Chow
  • Mastiff
  • Pastor Belga - Malinois; Tervuren


Top de Cães de Alerta

Raças excitáveis que ladram vigorosamente na presença de intrusos ou em situações novas:

  • Rottweiler
  • Pastor Alemão
  • Scottish Terrier
  • West Highland White Terrier
  • Schnauzer Miniatura
  • Yorkshire Terrier
  • Cairn Terrier
  • Chihuahua
  • Airedale Terrier
  • Caniche, excluindo a variedade gigante
  • Boston Terrier
  • Shih Tzu
  • Baixote
  • Silky Terrier
  • Fox Terrier (as duas variedades)


Cães com fraco instinto de guarda ou de alerta

Os cães que geralmente permanecem calmos, ignorando intrusos ou situações novas, e que têm pouca propensão para ladrar:

  • Bloodhound
  • Newfoundland
  • São Bernardo
  • Basset Hound
  • Bulldog
  • Antigo Cão de Pastor Inglês (Bobtail)
  • Clumber Spaniel
  • Irish Wolfhound
  • Scottish Deerhound
  • Pug
  • Husky Siberiano
  • Malamute do Alasca

 

Cuidados Especiais


Os cães de guarda, pela sua natureza dominante e, em última instância, agressiva para estranhos, mesmo que inofensivos, não são cães para donos inexperientes. Para que sejam cães equilibrados, os cães de guarda devem ser bem socializados e treinados. No caso de não ter experiência com cães e quiser um cão de guarda, recomenda-se vivamente a procura de ajuda junto de treinadores profissionais.

 

Socialização


Os cães de guarda devem desconfiar de estranhos e não os devem receber no seu território. Contudo, existem dois tipos de estranhos: os intrusos e as visitas. As visitas, que tanto pode ser uma pessoa amiga, como um colega de trabalho ou o carteiro, devem ser toleradas pelos cães de guarda, de forma a que este não tenha de ser preso quando tem a casa cheia.

Assim, o cão deve ser socializado com várias pessoas enquanto pequeno, e também animais, para que sempre que o dono autorizar a entrada de estranhos em casa, neste caso, visitas, o cão não as atacar.

 

Treino


O treino é muito importante nos cães de guarda. Os cães de guarda são por natureza dominantes e é necessário que o dono consiga estabelecer a sua liderança. Deve-se treinar a capacidade de os cães imobilizarem intrusos em vez de os atacarem, o que parecendo que não, é uma protecção para o próprio cão, já que os cães que atacam pessoas, mesmo que dentro do seu território, podem acabar por ser registados como perigosos.

Outro treino específico e até difícil de se conseguir totalmente é treinar um cão a não comer alimentos dados por estranhos. Mas para evitar envenenamentos, é sempre mais fiável instalar um sistema de alarme, que, quando muito, o faz verificar o cão na hora e, em caso de envenenamento, pode agir mais rapidamente.

 

Pessoal porque não fazem comentarios neste blogue????? Eu agradecia imenso que comentassem por favor. Beijinhos pessoal fiquem bem. Tenham uma boa tarde de quarta-feira!! E já sabem comentem muito não só neste como em todos os outros meus blogues.

http://coisinhassobresaude.blogs.sapo.pt

http://mundodamusicadois.blogs.sapo.pt

http://mundodepoesiadois.blogs.sapo.pt

http://reflexoesmaisreflexoes.blogs.sapo.pt

http://coisinhasdaavonsandra.blogs.sapo.pt

 

Mil beijinhos a todos/as que visitam e comentam neste blogue!!

 

publicado por gatinhafofa às 16:22
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Outubro de 2010

Recebi uma nova plaquinha

 

Desta vez do blogue da Rita Casal. Obrigada Rita,eu amei a plaquinha,está mesmo fofinha!!

 

http://ritacasal.blogs.sapo.pt blogue que eu aconselho toda a gente a visitar.

 

Pessoal eu estou reparando que vocês fazem poucos comentarios neste meu espaço,portanto decidi fazer umas plaquinha para vocês,quem quiser basta dizer. Mil beijinhos!! Bom fim-de-semana!!

publicado por gatinhafofa às 21:50
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. As focas

. Premios para a Black Prin...

. Cuidados a ter com os esq...

. Cães de guarda (2)

. Recebi uma nova plaquinha

.arquivos

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.Visitas

contador gratuito
blogs SAPO

.subscrever feeds